,

Os principais KPIs na distribuição logística de suprimentos

KPIs da distribuição logística de suprimentos

O mercado de distribuição logística de suprimentos está orientado a dados.

Essa é uma tendência muito ligada à tecnologia, cada dia mais disponível e fácil de implementar.

É aí que os KPIs, ou indicadores-chave de desempenho, em bom português, entram em cena – e é sobre eles que vamos falar sobre no artigo de hoje. Acompanhe.

O que são KPIs e por que eles são importantes para a área de distribuição logística de suprimentos?

Antes de qualquer coisa é importante dizer que KPIs são indicadores-chave de desempenho (do inglês Key Performance Indicators). Eles são valores mensuráveis que demonstram como, efetivamente, uma empresa, ou um departamento, está alcançando seus principais objetivos (comerciais, de produtividade, de satisfação dos clientes etc.).

Organizações e equipes usam KPIs em vários níveis para avaliar seu sucesso no atingimento de metas, sejam elas quais forem. Existem dois tipos básicos de KPIs: os de alto e os de baixo nível.

Os KPI de alto nível podem se concentrar no desempenho geral da empresa, enquanto os de baixo nível podem se concentrar em processos de departamentos, como vendas, marketing, distribuição logística de suprimentos etc.

Em rápidas palavras, a importância da utilização de KPIs na área de distribuição logística de suprimentos pode ser conferida assim:

  • Mensuração da performance do departamento;

  • Controle de desempenho e produtividade dos profissionais desenvolvidos;

  • Controle efetivo de custos;

  • Prevenção de desperdícios, falhas, erros e retrabalhos;

  • Medição da satisfação dos clientes;

  • Garantia de retorno sobre os investimentos etc.

Quais KPIs devem ser acompanhados de perto na distribuição de logística e de suprimentos?

Agora que já entendemos o que são KPIs e para que servem, podemos listar os mais importantes para a área de distribuição logística de suprimentos.

Custo de transporte de acordo com o percentual de vendas

Para acompanhar este KPI, é preciso dividir os custos de frete de entrega pelas receitas geradas com as vendas em um determinado período.

É claro, o percentual varia muito conforme os produtos vendidos. De qualquer forma, é um ótimo indicador para ajudar na avaliação da performance financeira da área.

SLA e TMA de entrega

O SLA diz respeito aos acordos firmados com fornecedores e clientes. Por exemplo, os prazos de entrega, as formas de rastreamento, entre outros.

Já o TMA é um KPI ligado ao tempo médio de atendimento, ou seja, devem ser acompanhados de perto as rotas, os tipos de entrega, entre outros fatores que influenciam no tempo prometido aos clientes, por exemplo.

Tempo em trânsito

O tempo em trânsito é medido como o número de dias e/ou horas desde o momento em que as mercadorias saem da empresa até o recebimento pelos clientes.

Normalmente, é feita uma comparação do tempo em trânsito prometido pela transportadora para o mesmo produto, modal de transporte e o mesmo destino.

OTIF

O OTIF é um KPI usado para monitorar a qualidade das entregas. Ele visa a aumentar a satisfação dos clientes por meio do estabelecimento de níveis de excelência no serviço.

Na prática, é a junção dos termos On Time e In Full, ou seja, entregas na hora, data e local certos, e dentro do que foi adquirido pelo cliente. Portanto, é importante que tanto a pontualidade quanto a integridade do que é adquirido pelo cliente estejam dentro de um nível de excelência.

Insatisfação dos clientes contando como custo no transporte

Dentro da área de distribuição logística de suprimentos, também é importante calcular a insatisfação dos clientes. Uma forma de fazer isso é dividindo os custos das reclamações com perdas e danos pelos gastos com transporte.

Normalmente, esse cálculo é feito para cada fornecedor e, também, para a empresa como um todo.

E atenção: números altos geralmente indicam problemas que podem estar no empacotamento, no acondicionamento e, também, no transporte. Portanto, mais do que calcular, é preciso identificar a raiz dos problemas.

Aproveitamento da capacidade do caminhão

Medir a capacidade do caminhão é um indicador utilizado geralmente para cargas grandes.

Para calculá-lo, é preciso dividir o peso pelo máximo permitido pelo carro. Se a utilização média for de 80%, por exemplo, podemos dizer que há uma capacidade ociosa de 20%. Logo, seria possível trabalhar para atingir o máximo de capacidade, o que se converte em eficiência logística e mais lucro.

Tempo o caminhão passa na estrada

Também conhecido como tempo de giro do caminhão, este KPI é calculado medindo o tempo médio gasto entre a chegada do caminhão e a sua saída.

Quanto menor for esse indicador, mais tempo o caminhão passa na estrada. Neste caso, é importante trabalhar para melhorar o processo de manuseamento dos lotes e a produtividade dos profissionais envolvidos em carga e descarga.

Tempo do caminhão sendo carregado e descarregado

Acompanhar o tempo médio de carregamento e descarregamento do caminhão também pode ajudar a planejar maneiras de acelerar esse processo e elevar a produtividade, o que acaba gerando mais eficiência e resulta em entregas mais rápidas.

E então, ficaram claros quais são os principais KPIs na distribuição logística de suprimentos? Você ficou com alguma dúvida? Escreva pra gente pelos comentários e até a próxima.