,

Erros comuns na gestão de estoque no e-commerce B2B

gestão de estoque

A gestão de estoque é, basicamente, o controle dos produtos que são adquiridos dos fornecedores e enviados para os clientes, a fim de saber quais são e em que quantidade existem antes de destiná-los para venda.No e-commerce de atacadistas distribuidores, ela é ainda mais importante, uma vez que se trabalha com um giro grande mercadorias. Em paralelo, o tempo de espera do consumidor é um predicado muito importante para o lojista virtual — quanto menor, mais bem vista é a empresa fornecedora.

Neste artigo, trazemos uma reflexão sobre o assunto. Você vai ver quais são os erros mais comuns e, também, dicas de como evitá-los no seu e-commerce B2B.

Confira!

A importância da gestão de estoque no e-commerce B2B

No mundo do comércio eletrônico de hoje, os clientes esperam que o processo de compra online seja tão simples quanto comprar o mesmo item em uma loja tradicional. Quando se trata de negociações virtuais entre empresas, simplicidade e eficiência são ainda mais importantes.

É sempre importante lembrar que negociar com empresas é lidar com compradores profissionais, cujas atribuições também contemplam a avaliação permanente dos fornecedores.

Para garantir essa eficiência, um dos fatores mais importantes é a gestão de estoques. As etapas que garantem que o nível ideal de recursos necessários seja mantido precisam ser bem processadas. Só assim é possível evitar a escassez ou o acúmulo de mercadorias — no primeiro caso, acarreta atrasos na entrega; no segundo, eleva os custos de manutenção de estoque.

É bom ter em mente a paisagem hipercompetitiva e o nível de paciência zero dos clientes, que podem facilmente mudar para o concorrente em caso de cancelamento do pedido devido falta de estoque, por exemplo.

Além disso, no e-commerce, erros e falhas podem ser ainda menos tolerados do que no comércio tradicional. Uma boa gestão de estoque pode manter a atração e a fidelização de clientes corporativos em alta. A má surte efeitos contrários — que serão sentidos nos resultados da empresa.

Confira também as nossas dicas em vídeo:

4 erros na gestão de estoque no e-commerce B2B que devem ser evitados

Confira, a seguir, os erros que muitos empreendimentos de e-commerce B2B acabam cometendo em sua gestão de estoque — e veja dicas para evitá-los:

1- Realizar a gestão de estoque de maneira tradicional

O e-commerce não pode ser visto somente como a venda no ambiente digital. Ele também requer adaptações em toda a logística – e isso inclui a gestão de estoque.

No comércio virtual, a equipe de marketing, que geralmente é a responsável por tomar conta das ofertas e colocá-las no site, precisa saber exatamente a quantidade de itens disponíveis – só assim evita de publicar um produto que está faltando, por exemplo.

Da mesma forma, os profissionais responsáveis pela separação das mercadorias precisam ter uma atenção redobrada para evitar erros. O cliente, especialmente corporativo, sempre espera que todo o processo (desde a finalização do pedido até o recebimento) seja eficiente. Muitas vezes, ele sequer pensa que há todo um trabalho analógico sendo realizado para lhe proporcionar a experiência da compra.

2- Não pensar a gestão de estoque como parte de toda a logística

Se no comércio físico a administração dos estoques já é complexa, no e-commerce ela ganha um tônus mais denso. Especialmente quando se trata de pensá-la como parte da logística do negócio.

Ter os produtos vendidos na loja virtual em estoque é tão importante quanto entregá-los com máxima rapidez. Daí que é importante observar os itens com maior saída para se certificar de que eles estarão disponíveis e, ao mesmo tempo, ter um controle rígido de fretes e serviços de distribuição.

Para evitar que esses dois processos acabem se desencontrando, uma boa dica é ter um sistema integrado. Dessa forma, o cliente já fica sabendo de antemão qual o prazo de entrega, uma vez que as rotas da frota interna ou da transportadora são estruturadas de forma automática pelo software.

3- Manter todo o estoque sob cuidados da equipe interna

Muitas empresas mantêm estoques em suas próprias dependências, mesmo de itens que não são de sua fabricação. Isso gera custos e, muitas vezes, faz com que a concorrência seja mais eficiente quando trabalha com estoques descentralizados.

Um dos grandes trunfos do e-commerce é, justamente, firmar parcerias com os fornecedores para que os pedidos sejam enviados por eles diretamente à empresa que os adquiriu — o chamado “estoque compartilhado”.

Logicamente, é preciso que esse tipo de trabalho conjunto seja bem articulado em contrato. As empresas parceiras devem ter o mesmo compromisso de manter a qualidade para o cliente — que nem precisa saber que comprou de uma empresa e recebeu de outra.

Descentralizando os estoques de maneira eficaz, é possível aumentar as margens de lucro e obter maior satisfação dos clientes.

4- Não investir em tecnologia para a gestão de estoques

Por fim, um erro que é gravíssimo no e-commerce B2B é o não investimento em ferramentas tecnológicas para gerir estoques e administrar a logística.

Ora, se a empresa está investindo em negociações no ambiente digital, não pode deixar de manter uma infraestrutura tecnológica que torne os processos inteligentes e integrados.

Quanto mais integrados tecnologicamente estiverem os processos — de ponta a ponta, desde a loja virtual até o controle de entregas, passando por estoques, finanças etc. —, melhores serão os resultados.

Atacadista distribuidor, já cometeu algum desses erros no seu e-commerce B2B? Conte pra gente pelos comentários e até a próxima.